quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Consciência


Ana Cecília Rosa
                                                                                             
A consciência tem sido discutida de forma sistemática pela    Medicina e Psicologia a consciência pode ser definida como um estado de alerta, onde podemos perceber nossa realidade interna e externa, ou seja, é a forma que interagimos conosco mesmo e socialmente. Freud acreditava que a maioria dos nossos pensamentos, atitudes e sentimentos teriam origem no inconsciente e, portanto, se expressariam sem que o indivíduo as percebesse, causando uma infinidade de repercussões negativas, como fobias e psicoses.
Para as religiões e ética, a consciência se refere a um “senso interior do certo e do errado quando de uma escolha moral”, que pode ser entendido como o sentido moral. Na Bíblia a consciência se confunde com o coração. Jesus ao nos convidar a “amar-nos uns aos outros” nos deixou a “regra áurea” do bom proceder e a garantia de felicidade possível apenas com a conquista da “paz na consciência”.
O Espiritismo, no livro dos Espíritos, nos traz a consciência como “um pensamento íntimo”. Isto implica que a consciência seria a forma pela qual o indivíduo se relacionaria com os outros. Por um outro lado, ao afirmar que “o homemtraz em sua consciência a lei de Deus”, o Espiritismo sugere que essa consciência é preexistente ao homem encarnado, e, portanto, faculdade do espírito. Assim, o móvel de todas as nossas ações é mediado pelo espírito onde as leis divinas se assentam, conferindo responsabilidade a cada infração destas leis, submetendo-nos irrevogavelmente a Lei de causa e efeito.
Mas, por infinita misericórdia divina, a consciência, também, tem o papel de juiz de nossos atos, fazendo-nos, em muitas situações, optarmos pelo bem; porque só a “consciência tranqüila”, possível apenas a um espírito purificado por ações nobilitantes, nos fará alçar à categoria dos espíritos perfeitos, condição de felicidade plena.

Ana Cecília Rosa é Médica Pediátrica, residente no Brasil. É membra do Instituto de Divulgação Espírita - Araras/SP.

Jornal de Estudos Psicológicos
Ano II  N° 2  Janeiro e Fevereiro 2009
The Spiritist Psychological Society