terça-feira, 2 de julho de 2013

Pedí, e dar-se-vos-á

Narrativa Evangélica


7 Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á.
8 Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á.
9 Ou qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra?
10 Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente?
11 Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhas pedirem?
 Comentários do GEET

 Jesus nestes versículos apresenta a Providência Divina ou as leis universais divinas que nos protegem e nos encaminham para a perfeição segundo a determinação do Pai supremamente Justo e Bom.

A comparação do Mestre é com os pais terrenos que mesmo sendo “maus”, isto é, imperfeitos ainda, já procuram dar boas coisas aos seus filhos, o que diria do Pai Perfeito que é Deus.

Pensemos em algo diferente para meditarmos no ensino de Jesus. Qual o pai que dá ao filho de menor, que ainda não sabe escolher, algo que lhe faça mal como drogas ou veneno? Da mesma forma se pedíssemos a Deus algo que nos faça mal, Ele nos daria?

Assim, Jesus se referia aos valores espirituais, como em todas as suas lições. Pedir, buscar e bater se refere a valores da alma. O pão e o peixe que o homem deve pedir é o ensinamento do alto que nos orienta para o bem e o amor que nos sublima. A pedra e a serpente são a indiferença e a maldade, que nossos benfeitores espirituais seriam incapazes de nos deixar.

A ética deste conhecimento é que não estamos desamparados no bem. O Pai sabe o que precisamos e nos aguarda o amadurecimento para que alcancemos os seus presentes para nós. É a ética da lei de ação e reação, da evolução e do merecimento.



Mensagem Espiritual


Que a paz do Mestre possa, nesse momento ser o presente, passado e o futuro a nos plenificar as ações e os sentimentos.

Quão consoladora e substanciosa a lição do Mestre estudada na noite de hoje. Gostaríamos de acrescentar aos vários comentários da noite de hoje a nossa humilde colaboração.

Entendemos, que nessa passagem o Mestre Jesus nos ensina a respeito da nossa relação com o Creador  na constante  e evolutiva  manifestação do amor.

Inicialmente pedimos, vibramos, pensamos e sentimos. E se vibramos amor receberemos de volta amor. Posteriormente, iniciamos o caminho para a ação através da busca e passamos então a buscar e se nos arriscarmos a buscar o amor o encontraremos.

E continuando a evolução, não satisfeitos em apenas vibrar o amor, buscar o amor, vamos bater, trabalhar, agir, materializar o amor. E então, assim, abrir-se-nos-a a porta da felicidade.

Jesus nos ensina que, qual o pai que o filho não requisitar dele carinho e amor lhe retribuirá com o ódio e indiferença? O Pai amoroso, bondoso, justo e perfeito nos aguarda a requisição para vivenciarmos o amor. Para então, adentrarmos em seu Reino de Luz, de Justiça e Sabedoria. Para plenos de felicidade entender o real sentido da Vida.

O Amigo Espiritual de Sempre.