quinta-feira, 24 de setembro de 2015

O SINAL ESPIRITA DA RENOVAÇÃO INTERIOR


O   SINAL   ESPIRITA   DA   RENOVAÇÃO   INTERIOR

Rogério Coelho

"Reconhece-se o verdadeiro Espírita  pela sua  transformação moral
 e  pelos  esforços  que emprega  para domar suas inclinações más."
                                               - Allan Kardec

              O  Singular  Discípulo de Pestalozzi  teve  o cuidado  de  deixar bem clara a questão da  "qualidade"  do  teor doutrinário  que  deve caracterizar o Espírita Verdadeiro ou  o Espírita Cristão.   Isso porque - bem o sabia o Mestre Lionês - a diversidade de caracteres das criaturas determinaria, também, uma gama  imensamente  variada de "tipos" de Espíritas.   Porém,  sem desconsiderar   esse   amplo  leque   de   "exemplares",   Kardec classifica-os   -   genericamente  -  em   quatro   grupos,   não necessariamente estanques, a saber :
- Espíritas experimentadores;
- Espíritas imperfeitos;
- Verdadeiros Espíritas ou Espíritas-Cristãos; e
- Espíritas exaltados.
Vemos assim, que não basta a pessoa  dizer-se Espírita  para  efetivamente  o ser de boa "cepa".    Há  que  se observar  atenta  e  minuciosamente se não  se  trata  apenas  de pseudocientista, exaltado ou imperfeito.
                       Faz-se mister para a perfeita identificação do Espírita legítimo,  isto  é,  do Espírita Verdadeiro ou Espírita-Cristão, observar se o seu  “modus-vivendi”  está balizado pelos ensinamentos de Jesus e Kardec.  O que caracteriza os
VERDADEIROS  ESPIRITAS  OU  ESPIRITAS-CRISTÃOS?
Kardec assim os define1:
"Aquele  que pode ser -  com  razão  - qualificado  de  Espírita Verdadeiro e sincero, se acha  em  grau superior  de adiantamento moral.  O Espírito que nele  domina  de modo mais completo a matéria, dá-lhe uma percepção mais clara  do futuro; os princípios da Doutrina lhe fazem vibrar fibras que nos outros se conservam inertes.   Em suma: é tocado no coração, pelo que  inabalável se lhe torna a fé.   Um é qual músico que  alguns acordes bastam para comover, ao passo que outro apenas ouve sons.
Enquanto um se contenta com o  seu  horizonte limitado, outro, que apreende alguma coisa de melhor, se  esforça por  desligar-se dele e quase sempre o consegue, se tem  firme  a vontade."
Kardec quis reforçar ainda mais essa  questão para torná-la insofismável, por isso perguntou, sem rebuços,  aos Espíritos Superiores :
-  "Se entre os chamados para o  Espiritismo, muitos se transviaram, quais os sinais pelos quais reconheceremos os que se acham no bom caminho?"
Resposta:    -    "Reconhecê-los-eis    pelos princípios   da   verdadeira  Caridade  que  eles   ensinarão   e praticarão.    Reconhecê-los-eis  pelo número de  aflitos  a  que levem  consolo; reconhecê-los-eis pelo seu amor ao próximo,  pela sua abnegação, pelo seu desinteresse pessoal;  reconhecê-los-eis, finalmente,  pelo triunfo de seus princípios, porque Deus quer  o triunfo  de  Sua  Lei;  os  que seguem  Sua  Lei,  esses  são  os escolhidos  e Ele lhes dará a vitória; mas Ele destruirá  aqueles que  falseiam  o  espírito dessa Lei e  fazem  dela  degrau  para contentar sua vaidade e ambição."
O Espírito de Verdade alerta :
"Ditosos   serão  os   que   houverem trabalhado  no  campo  do Senhor, com desinteresse  e  sem  outro móvel, senão a Caridade!   Seus dias de trabalho serão pagos pelo cêntuplo  do que tiverem esperado.   Ditosos os que hajam dito  a seus  irmãos: "Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços,  a fim  de  que  o  Senhor, ao chegar,  encontre  acabada  a  obra", porquanto o Senhor lhes dirá:
Vinde  a mim, vós que sois  bons  servidores, vós  que  soubestes  impor silêncio às vossas  rivalidades  e  às vossas  discórdias,  a  fim de que daí Não viesse  dano  à  obra!   Mas,  ai daqueles que, por efeito das suas  dissensões,  houverem retardado  a hora da colheita; que buscaram suas recompensas  nos gozos  da Terra e na satisfação do orgulho, pois  as  recompensas celestes são para os que Não as tenham buscado na Terra."
Arremata Albino Teixeira :
"Fácil é verificar quando a pessoa entrou  no Espiritismo: basta examinar um fichário ou escutar uma indicação.   Difícil, porém, é positivar se o Espiritismo entrou na pessoa.
Existem  dez inequívocas expressões do  sinal espírita   na  individualidade,  respaldadas   em   manifestações evidentes,  ostensivas,  que  sempre se  fazem  representar  pelo advérbio "mais", nos domínios do bem:
Mais serviço espontâneo e desinteressado  aos semelhantes;   mais   empenho   no   estudo;   mais   noção    de responsabilidade;  mais  zelo na obrigação; mais  respeito  pelos problemas dos outros; mais devotamento à verdade; mais cultivo de compaixão;  mais  equilíbrio  nas  atitudes;  mais  brandura   na conversa; mais exercício na paciência.
Ser  espírita  de  nome,  perante  o   mundo, decerto que já significa trazer legenda honrosa e encorajadora na personalidade,  mas, para que a criatura seja Espírita  à  frente dos  bons Espíritos, é necessário apresentar o sinal espírita  da renovação interior, que, ante a Vida Maior, tem a importância que se confere na Terra às prerrogativas de um passaporte ou ao valor de uma certidão.”