terça-feira, 14 de maio de 2013

Reforma Íntima


Reforma Íntima

image
O que é a reforma íntima apregoada pelo Espiritismo?
Reforma íntima é o processo de aprimoramento do homem. O conhecimento do Evangelho do Cristo e das verdades reveladas pelos espíritos leva-nos a rever o conceito que temos da vida. Somos quais náufragos refugiados provisoriamente em uma ilha, mas com retorno certo para o nosso país de origem – o mundo espiritual. As coisas da Terra passam a ter para nós uma importância relativa, ou seja, os bens materiais são utilidades necessárias à nossa sobrevivência e devem ser usados com parcimônia, em nosso benefício e da coletividade, porque dependemos uns dos outros. As agruras e sofrimentos daqui são suportados com mais resignação e coragem, pois sabemos que têm seu termo com a viagem de volta – o desencarne. Compreende-se que o amor ao próximo não é simplesmente uma proposição religiosa, mas uma lei regulando a vida dos seres e determinando a nossa própria felicidade, porquanto recebemos na mesma medida em que damos.
Ao contato dessas novas informações, estabelece-se em nós uma luta, porque o Cristo disse que não veio trazer a paz, mas a espada. E é exatamente assim: perdemos a nossa paz. Não a verdadeira, mas a ilusória, que significa acomodação, indiferença. Passamos a guerrear conosco mesmo. Temos agora novas lições a seguir, mas o homem-velho, orgulhoso, egoísta e vingativo ainda teima em permanecer em nós. Como no dizer do apóstolo Paulo: O Bem que quero fazer não faço, mas o mal que não quero, esse eu faço. A nossa consciência até então tranqüila já não nos deixa dormir sem refletir nos erros que cometemos sucessivamente. Passamos a nos arrepender das atitudes infelizes e para nosso sossego buscamos a reconciliação com quem ferimos. Isso tudo é para nós muito desgastante e doloroso. Para evitar outros erros e novos sofrimentos, estabelecemos uma ação preventiva, vigiando a nossa conduta, dedicando-nos mais à oração e às leituras sadias, abandonando vícios e hábitos perniciosos. Esse é o primeiro passo da reforma íntima.
Daí entra-se numa segunda fase, que decorre do ensinamento evangélico de que devemos fazer ao próximo todo o bem possível, tudo aquilo que desejamos para nós mesmos. Em razão dele também o lema espírita: Fora da Caridade não há salvação. Por outras palavras, não basta simplesmente não fazer o mal, não errar, mas é preciso fazer o bem. Quem não faz o bem, automaticamente está fazendo o mal por omissão, causa de tanta miséria e ignorância no mundo. Ciente disso, o candidato disposto à auto-reforma abandona o comodismo, vence a inércia e lança-se ao trabalho de ajuda às crianças abandonadas, à velhice desamparada, aos miseráveis e aos doentes. Já é um grande passo. Mas ainda assim, o bem em nós é quase um dever, que nem sempre cumprimos de boa vontade. Fazemos a caridade porque sabemos que deve ser assim, que é o melhor, que haverá uma recompensa divina, mesmo que seja ele espiritual.
Finalmente, a reforma íntima chega ao seu final quando fazer o bem torna-se um prazer. É uma ação incorporada à nossa personalidade, manifestando-se espontaneamente, sem que por ela esperemos qualquer recompensa. Então, já não seremos mais meros aprendizes, mas servos do amor de Jesus na grande obra de implantação da paz nos corações.
Autor: Donizete Pinheiro
Livro: Respostas Espíritas – Edições Sonia Maria – 1ª Edição – Capítulo: 27 São Paulo – 1997